Fotografía, Música

Aguas de Marzo

Esta canción siempre me gustó, pero desde que la oí en la radio el primer día de primavera no puedo dejar de escucharla en mi cabeza. Y es que si algo no nos ha faltado este año son las aguas de Marzo, la lluvia no nos ha dado tregua en todo el mes. A pesar de eso, ya es primavera, está claro. Hay flores. Todo está exuberantemente verde. Llueve y sale el sol al mismo tiempo. Supongo que los animales también se han dado cuenta y parecen felices pastando al aire libre y atentos a esta loca que para su coche cada dos por tres para fotografiarlos. Y ya lo sé, la canción no es una oda a la primavera, sino al final del verano, cosas de la latitud, pero yo la veo de lo más apropiada. Eso de a promessa de vida no teu coração siempre me ha sonado a primavera. Podéis escucharla aquí, mientras veis las fotos y leéis su letra al fondo de la entrada.

20130323 (089)

20130323 (025)

20130323 (018)-2

20130323 (067)

20130324 (003)

20130323 (092)-2

20130323 mosaico2

20130323 (075)

20130324 (007)

20130323 (113)

20130324 (008)

20130323 (045)

20130323 (107)

 

Aguas de Marzo

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol
É peroba do campo, é o nó da madeira
Caingá, candeia, é o Matita Pereira.

É madeira de vento, tombo da ribanceira
É o mistério profundo, é o queira ou não queira
É o vento ventando, é o fim da ladeira
É a viga, é o vão, festa da cumeeira
É a chuva chovendo, é conversa ribeira
Das águas de março, é o fim da canseira
É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
Passarinho na mão, pedra de atiradeira.

É uma ave no céu, é uma ave no chão
É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão
É o fundo do poço, é o fim do caminho
No rosto o desgosto, é um pouco sozinho.

É um estrepe, é um prego, é uma conta, é um conto
É uma ponta, é um ponto, é um pingo pingando
É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
É a luz da manhã, é o tijolo chegando
É a lenha, é o dia, é o fim da picada.
É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada
É o projeto da casa, é o corpo na cama
É o carro enguiçado, é a lama, é a lama.

É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um resto de mato, na luz da manhã
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração.

É uma cobra, é um pau, é João, é José
É um espinho na mão, é um corte no pé
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um belo horizonte, é uma febre terçã
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

Anuncios
Estándar

4 thoughts on “Aguas de Marzo

  1. Milena dice:

    Hola!…Solo nos falta el sol y entonces por fin será primavera de verdad verdadera!.
    Me gustan mucho, sobre todo la de la vaca y su propia sombra en b/n.
    Chao!.

  2. Maria Josep dice:

    Fantástica combinación de imágenes y música !!!!!
    Seguro que el sol ya está a punto de salir.
    Bikos.

Comentarios

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s